terça-feira, 24 de abril de 2012

Meu interior

Noite fria! Acordei!
Ambiente estranho
Sensação estranha
Estranho prazer

Em meu quarto não me encontrava
Susto!
Sobre uma tumba estava
Sob mim o mármore jazia frio

Quem repousaria ali?
Atenderia se eu chamasse?
Mas o seu nome não sei
Deixo como está

Como fui parar naquele lugar?
A resposta não se demorou
Em minha cama continuava
Apenas minha mente espreitava

Aquele sombrio lugar
Nada mais era que o meu negro interior
Semelhante ao repouso dos mortos
Mas que bem vivos estão!


*Aermo Wolf

5 comentários:

  1. Uma alma que já morta está em um corpo que teima em vivo ficar

    ResponderExcluir
  2. Bela poesia sem duvida.vc expressa muito bem.

    ResponderExcluir
  3. oi tudo bom, eu gostei muito das suas poesias, gostaria de saber se vc autenticou elas, e colocou em seu nome...estou perguntando isso pq gostaria q fizesse uma para minha banda, ai vc faz passa para seu nome e me fala pq ai darei todo os direitos autorais em relação a letra para vc...se quiser conversar me add no msn se vc ainda utilizar, é joaobatistamoraes@hotmail.com se quiser claro ^^

    ResponderExcluir