quarta-feira, 18 de abril de 2012

Fuga

Demorada a viagem está
Muitas conversas fúteis de pessoas que jamais vi
Nada quero além de atingir meu destino
E mover-me para longe de tais seres.

Será que no lugar errado eu nasci?
Ás vezes isso me ocorre com tanta frequência
Será que na época errada vivo?
Disso não duvido.

Em situações tais
Apenas a música me oferece a possibilidade de fuga
Os fones de ouvido coloco. Aciono meu aparelho.
Os olhos fecho e viajo internamente nos meus delírios

O triste e melancólico som do piano me aquece a alma
Pelos ouvidos a música chega à minha mente
Por todos os poros do meu extenso corpo eu a posso sentir
Maravilhosa sensação.

Letras fortes que retratam o meu interior
Se vocês, seres que ao meu lado estão, escutassem o que eu escuto
Converter-se-iam à maravilha da bela música
De fato não sou desse tempo

Minha mente volta para épocas que não vivi
Todo de negro me imagino
Um piano negro de cauda à minha frente
Eu o toco

Em meio à edificações antigas e pouco iluminadas me encontro
Não poderia estar em lugar melhor
Desligo a música. Abro os olhos. A fuga dessa irrealidade acabou
À minha frente a paisagem urbana com as pessoas que não conheço.
Retornei.

*Aermo Wolf

4 comentários:

  1. Amei seu blog!
    Esse poema é tão "eu", Parabens!
    Tenho um blog de poesias também, visita lá: http://asombradopoeta.blogspot.com.br/
    Beijos e até breve

    ResponderExcluir
  2. Otimo poema, me identifiquei muito tambem.pois costuma pensar que sou vitma de minha propria epoca pois nada me agrada atualidade e chata e barulhenta .eu sempre gostei de poesias neste estilo mas agora leio-as mais ainda, ja que estou em um momento muito doloroso de minha vida.nao me resta nada as madrugas alem de ler algo agradavel.Sinto como se o que vc escrevesse fosse sobre mim em alguns momentos.tenha uma boa noite.

    ResponderExcluir
  3. Lindo esse poema,me identifiquei muito com ele.....

    ResponderExcluir